Posts Tagged " dicionario de comercio exterior"

Dicionário de Comércio Exterior

»Postado por em Blog, Exportacao, Importacao | 2 comentários

Dicionário de Comércio Exterior

Dicionário de Comércio Exterior

ACF:
Attainable Cubic Feet ou Espaço Cúbico Permitido.

Acknowledgement of Receipt ou Confirmação de Recebimento:
Notificação relacionada a algo recebido.

Admissão temporária:
Regime aduaneiro especial que permite a importação de bens que devam permanecer no País durante prazo fixado, com suspensão total ou parcial de tributos.

ADR:

Articles Dangereux de Route ou Transporte de Artigos Perigosos.

AD Valorem:
Taxa de seguro cobrada sobre certas tarifas de frete ou alfandegárias proporcionais ao valor total dos produtos da operação (Nota Fiscal).

AFRMM:
Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante.

Aladi (Associação Latino-Americana de Integração):
Congregação de países que têm como objetivo o estabelecimento de um mercado comum latino-americano, formada por: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Cuba, Equador, México, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

All risks:
Todos os Riscos, cláusula de contrato de seguro, cobrindo todos os riscos normais de carga durante o seu transporte e trânsito.

Amostras sem valor comercial (Samplers):
Bens representados por quantidade, fragmentos ou partes, estritamente necessários para dar a conhecer sua natureza, espécie e qualidade.

Armazém ou Warehouse

Lugar coberto, onde os materiais/produtos são recebidos, classificados, estocados e expedidos.

AWB:

Air Waybill ou Conhecimento de Transporte Aéreo.

Back to Back:

Consolidação de uma única expedição em um MAWB (Master Air Waybill – Conhecimento Principal de Transporte Aéreo) abrangendo um HAWB (House Air Waybill – Guia de Transporte Aéreo emitida por um expedidor).

Bagagem:
Para efeitos de tratamento tributário são considerados como bagagem os bens novos ou usados, destinados ao uso ou consumo pessoal do viajante, em compatibilidade com as circunstâncias de sua viagem.

Barra:
Local próximo ao porto, seguro, onde os navios ficam aguardando autorização para atracarem no cais disponível ou determinado

B/L / Bill of Lading:

Conhecimento de Embarque, Conhecimento Marítimo, documento do armador, preenchido pelo embarcador e assinado pelo comandante ou o agente do navio, confirmando o recebimento de determinada carga a bordo (ou para embarque) e especificando, entre outros vários detalhes, o frete pago ou a ser pago no destino. É, ao mesmo tempo, um recibo de bordo, um título de posse e uma evidência de contrato de transporte, cujas cláusulas estão incorporadas no mesmo

Bi-trem ou Reboque:
É o conjunto monolítico formado pela carroceria com o conjunto de dois eixos e pelo menos quatro rodas. É engatado na carroceria do caminhão para o transporte, formando um conjunto de duas carrocerias puxadas por um só caminhão.

Bombordo:
Lado esquerdo do navio.

Bonded Warehouse:
armazém alfandegado, armazém onde mercadorias importadas ficam guardadas até que sejam desembaraçadas.

Booking:
Reserva, fechamento.

Booking note:
Documento emitido por um armador de linha regular ou seu agente e assinado pelo embarcador, comprovando o fechamento de praça para determinado navio. É um documento provisório ao Bill of Lading, que o substituirá posteriormente.

Breakbulk:
1. Sistema convencional de transporte de carga geral. i.e. transportada solta e em volumes individuais, diferenciando-se, principalmente, de quando a mesma é transportada em containers.
2. Sistema de inspeção de carga usado pelo superintendente de carga, quando os volumes são abertos para tal.

Broker:
Corretor, agente intermediário.

Brokerage Houses – Empresas especializadas em intermediar afretamento marítimo.

Bulk cargo:
Carga a granel, carga solta e sem qualquer acondicionamento, podendo ser sólida ou líquida.

Bulk carrier:
Graneleiro, tipo de navio especializado no transporte de carga sólida a granel, possuindo para isso porões amplos, desobstruídos e de forma especial para “assentar ” a carga estivada.

Bulk container:
espécie de container com aberturas (escotilhas) no teto, usado para acondicionar carga sólida a granel.

Bunker:
Combustível para navios, o que, no caso de navios a motor, inclui o óleo combustível e o diesel marítimo.

Bunker surcharge:
Sobretaxa de combustível, adicional ao frete cobrado pelo armador dos embarcadores, em ocasiões em que os preços do combustível estão oscilantes, em termos de porcentagem sobre o mesmo.

CKD – Abreviatura de Completely knocked down, ou seja, carga desmontada para transporte, como máquinas e equipamentos.

Cabotagem:
Navegação doméstica (pela costa do País).

Cábrea:
Equipamento usado em portos para levantar grandes cargas pesadas ou materiais em obras, e que consta de 3 pontaletes unidos no topo onde recebem uma roldana por onde passa o cabo.

Calado:
Expressão do transporte marítimo, que significa profundidade em que cada navio está submerso na água. Tecnicamente é a distância da lâmina d’água até a quilha do navio.

Cambial:
Documento de troca de moeda.

Capatazia:
É o serviço utilizado geralmente em portos, onde profissionais autônomos executam o trabalho de movimentação de cargas.

Carreta baú:
É uma carreta fechada.

Carreta isotérmica:
É uma carreta fechada, com isolamento térmico em suas paredes, que conserva a temperatura da carga.

Car carrier:

Navio tipo roll-on/roll-off, especializado no transporte de automóveis, podendo também transportar outros veículos equivalentes.

Carrier:
1. transportador, aquele que presta serviço de transporte a outros, i.e. o armador ou, conforme o caso, o afretador.
2. Navio ou veículo destinado ao transporte de determinado tipo de carga, p.ex. LPG carrier.

Carrier Haulage:
Transporte terrestre do armador, diz-se de quando o armador cuidará do transporte terrestre da mercadoria até o seu destino, se assim contratado com o embarcador ou o consignatário.

Cartage:
1. Carreto, transporte a curta distância.

Cavalo Mecânico:
É o conjunto monolítico formado pela cabine, motor e rodas de tração do caminhão. Pode ser engatado em vários tipos de carretas e semi-reboques, para o transporte.

CCA:
Carta de Correção

CCR:
C
onvênio de Pagamentos e Créditos Recíprocos – Sistema de pagamentos controlado pelos bancos centrais que abrange os países da ALADI e a República Dominicana.

CFR:
Cost and Freight ou Custo e Frete.

Chamber of Commerce:
Câmara de Comércio, associação de importadores e exportadores com o objetivo principal de desenvolver o comércio entre si.

Charter:
1. Afretamento, aluguel de navios ou aeronaves por tempo ou viagem, mediante preço e condições estabelecidos pelo Contrato de Afretamento.

CI:
Comprovante de Importação.

CIDE (Contribuição de Intervenção sobre o Domínio Econômico):
cobrada sobre petróleo e derivados.

CIF:
Custo da mercadoria somado ao seguro e frete internacional (cost, insurance and freight).

CIP:
Transporte e Seguro Pagos até… (Carriage and Insurance Paid to…).

Claim:
Reclamação, reivindicação.

Classification Society:
Sociedade Classificadora, entidade de abrangência internacional encarregadora de classificar e registrar navios de acordo com o seu tipo, construção, propulsão, maquinaria, etc., e expedir certificados de borda-livre, tanto em nome de armadores privados como de governos. Durante toda a “vida” de um navio, tais entidades mantém vistorias contínuas com o objetivo de verificar se o mesmo se mantém dentro de sua classificação original.

Clean (on board) Bill of Lading:
Conhecimento de Embarque Limpo (a bordo), diz-se de tal documento quando nenhuma ressalva ou anotação quanto ao estado da carga recebida a bordo é encontrada no mesmo, sendo o normalmente exigido pelos importadores nas cartas de crédito.

Clearance:
liberação, desembaraço (aduaneiro).

Collect:
Cobrança, ato de se cobrar um débito, pagamento a ser efetuado no destino da carga.

Commercial Invoice:
Fatura Comercial – documento emitido e assinado pelo exportador contendo as características da operação comercial (commercial invoice).

Common carrier:
Diz-se de um transportador marítimo de linha regular e assim reconhecido por todos os outros do seu ramo.

Conference: = Freight Conference:
Conferência de Frete, associação de armadores que exploram linhas regulares de navegação, com o objetivo de estabelecer regras e fixar taxas do frete iguais entre si, para cada rota em que operam.

Conhecimento de Transporte:
Documento emitido pela transportadora, baseado nos dados da Nota Fiscal, que informa o valor do frete e acompanha a carga. O destinatário assina o recebimento em uma das vias.

Consignee:
Consignatário. Aquele ao qual uma mercadoria é consignada ou destinada. p.ex. o importador.

Consolidation:
Consolidação. diz-se do agrupamento de lotes pertencentes a diferentes embarcadores para formar um única carga.

Container:
1. contentor, grande caixa ou recipiente metálico no qual uma mercadoria é colocada (estufada ou ovada), após o que o mesmo é fechado sob lacre (lacrado) e transportado no porão e/ou convés de um navio para ser aberto (desovado) no porto ou local de destino.

Copy not negotiable:
Cópia não negociável, geralmente do Conhecimento de Embarque original a qual, essa sim, pode ser negociada.

Correction Advise:
Aviso de Correção. Aviso expedido pelo armador ao seu agente notificando alguma alteração de dados no conhecimento de embarque ou outro documento.

Courier
Empresa que opera na prestação de serviço de transporte internacional porta-a-porta, desde que o destinatário não seja a própria empresa.

CPC:
Commerce Planning Colaboration.

CPT:
Cariage Paid To ou Transporte Pago Até.

Cubagem – Medição espacial ou cúbica da carga, que substitui o peso no cálculo do frete de cargas leves e volumosas.

Custo Logístico:
É a somatória do custo do transporte, do custo de armazenagem e do custo de manutenção de estoque.

Customs:
Alfândega, aduana, escritório ou edifício da Agência da Receita Federal no portos e aeroportos, encarregada de fiscalizar a entrada, trânsito e saída de mercadorias do país, bem como coletar impostos daí oriundos e liberar os navios e aeronaves na chegada e saída dos portos e aeroportos.

Custom broker:
Despachante aduaneiro. Pessoa ou firma encarregada de despachar (desembaraçar) as cargas junto a alfândega, tanto as de importação como as de exportação, em nome dos importadores e exportadores.

DAC (Depósito Alfandegado Certificado) – Regime aduaneiro especial que permite o depósito, no mercado interno, sob regime alfandegado, de produtos já comercializados com o exterior, considerados exportados para todos os efeitos fiscais, creditícios e cambiais.

DAF – Delivered At Frontier ou Entregue na Fronteira.

Damaged:
Danificado. Diz-se da mercadoria ou sua embalagem já quando recebida nestas condições para embarque ou quando constata-se o dano somente no desembarque da mesma.

Dangerous goods:
Carga perigosa. p. ex. explosivos, inflamáveis, corrosivos, etc. para cujo manuseio e transporte existe uma série de regulamentos internacionais.

DDP ou Door to Door:
Delivered Duty Paid ou Entregue com Taxas Pagas.

DDU:
Delivered Duty Unpaid ou Entregue sem Taxas Pagas.
Demurrage ou Sobreestadia – Multa determinada em contrato, a ser paga pelo contratante de um navio, quando este demora mais do que o acordado nos portos de embarque ou de descarga. O termo também utilizado para as diárias a serem pagas pelo importador após o período de estadia livre concedido pelo agente de carga/armador.

Deadline:
Prazo limite para depositar os conteineres a serem embarcados

Demurrage:
1. sobrestadia, multa ou indenização paga pelo afretador ao armador, por ter o primeiro ultrapassado o prazo estipulado num Contrato de Afretamento por viagem, para as operações de carregamento e/ou descarga do navio.
2. Tal retenção do navio no porto por tempo além do concedido para carregamento ou descarga.

DEQ:
Delivered Ex QUAY ou entrega no cais. O vendedor entrega a mercadoria no cais do porto de destino.

DES:
Delivered Ex SHIP ou Entrega no Navio.

DI:
Declaração de Importação.

Door to door:
Carga é coletada na porta do embarcador e entregue na porta do comprador. Porta a porta.

Docas ou Docks
É o local intermediário que as mercadorias ficam entre a expedição e os transportes (vários modais), a fim de facilitar e agilizar a operação de carregamento e descarregamento.

Draft:
1. calado, a distância graduada em metros (ou decímetros) ou pés (e polegadas), medida da quilha do navio a linha d’água observada no momento de sua leitura.
2. Tal distância assim graduada em escala própria, indicando a capacidade de imersão do casco do navio.
3. Espelho de documentos a serem confeccionados. Ex.: B/L; faturas etc
4. Também é saque ou cambial, ordem de pagamento (Noronha, Durval de, Dicionário Jurídico – Observador Legal Editora Ltda., 1998)

Dragagem:
Serviço de escavação nos canais de acesso e áreas de atracação dos portos para manutenção ou aumento da profundidade.

Drawback:
Termo usado para a importação de matérias primas com favorecimento ou isenção de impostos de importação, com a condição destas serem usadas como componentes de produtos para exportação.

Dry-cargo container:
Tipo de container convencional, usado para carga seca, existindo nas medidas de 20 e 40 pés, sendo o mais comumente encontrado e manuseado no comércio internacional atualmente.

DSE:
Declaração Simplificada de Exportação.

DSI:
Declaração Simplificada de Importação.

Duty (pl. duties):
1. obrigação, dever
2. taxa. p.ex. aduaneira.

Endorsement:
Endosso, transferência de propriedade, título ou dinheiro através de assinatura no verso de um documento.

EADI:
Estação Aduaneira do Interior.

ELQ:
Economic Logistic Quantity ou Quantidade Logística Econômica. É a quantidade que minimiza o custo logístico.

Embalagem ou Package:
Envoltório apropriado, aplicado diretamente ao produto para sua proteção e preservação até o consumo/utilização final.

Entreposto aduaneiro:
Regime especial que permite a importação de mercadoria estrangeira para armazenamento em recinto alfandegado de uso público, com suspensão do pagamento dos impostos.

Entreposto industrial sob controle informatizado:
Regime especial que permite à empresa importar com suspensão do pagamento dos tributos, sob controle informatizado, mercadorias para serem submetidas à operação de industrialização e posterior exportação.

Estibordo
Lado direito do navio.

Estivador
Empregado das Docas que trabalha na carga e descarga dos navios.

ETA (Estimated Time of Arrival):
Data estimada ou prevista da chegada de um navio no porto ou de uma aeronave no aeroporto.

ETD (Estimated Time of Departure):
Data estimada ou prevista da saída de um navio no porto ou de uma aeronave no aeroporto.

ETS: = ETD
Ex: prefixo usado para significar “a partir de”.

Exportação temporária:
Saída de produtos do País, por tempo determinado, com suspensão do pagamento de impostos, inclusive o de exportação, condicionada à sua reimportação no estado em que foram exportados.

EXW:
Ex Works.

Far East:
Extremo Oriente, área convencionada como a incluir a China, Japão, Coréia do Norte, Coréia do Sul, Tailândia, Filipinas e Indonésia.

FAS:
Free Alongside Ship ou Livre no Costado do Navio. O vendedor entrega a mercadoria ao comprador no costado do navio no porto de embarque.

FCA:
Transportador Livre (Free Carrier).

FCL – Full Container Load:
“Carga Total de Container”, porém usa-se para designar o transporte House to House.

FCR:
Forwarder Certificate of Receipt ou Certificado de Recebimento do Agente de Transportes.

Fee:
Comissão, honorário.

Feeder:
Serviço marítimo de alimentação do porto hub ou de distribuição das cargas nele concentradas.

Feeder Ship:
Navios de abastecimento.

FIO:
Free In and Out ou isento de taxas no embarque e no desembarque. Despesas de embarque são do exportador e as de desembarque do importador. Nada de responsabilidade do Armador.

Fitossanitário, Certificado – Phytosanitary Certificate:
Documento emitido por órgão fiscalizador de produto vegetal (no Brasil o Ministério da Agricultura).

Flag:
1. Bandeira, pavilhão.
2. A nacionalidade de um navio ou de uma aeronave em relação à bandeira que ostente.

Flat rack:
Tipo de container aberto, possuindo apenas paredes frontais, usado para cargas compridas ou de forma irregular as quais, de outro modo, teriam de ser transportadas soltas em navios convencionais.

FOB:
Valor do produto posto livre a bordo do navio (free on board).

Forwarder:
Transitário, despachante; (freight forwarder – agente de carga).

Free port:
Porto livre. Porto onde as mercadorias podem transitar livremente. I.e.: livres de impostos aduaneiros.

Freight Collect:
Frete a cobrar, ou seja, a pagar. Pode ser pago em qualquer lugar, porém, em regra, é pago no destino.

Freight Payable at Destination:
Semelhante ao freight collect, porém, só pode ser pago no destino. Freight Prepaid ou Freight Paid – Frete pré-pago ou frete pago. Diz-se do frete, em regra, pago na origem, por ocasião do embarque dos bens

Freighter:
Navio cargueiro.

Full set:
Jogo completo. p.ex. de vias de um documento.

Gateway:
Portão de entrada/saída. Diz-se do ponto (porto, aeroporto ou fronteira).

General cargo:
Carga geral, carga seca embalada em volumes. p.ex. sacaria, caixas, fardos, etc., podendo ser transportada solta, paletizada ou unitizada em container.

Goods:
Mercadoria, produto, a carga transportada ou a ser transportada, da qual, em direito marítimo, excluí-se animais vivos e carga estivada no convés sem autorização do embarcador no Conhecimento de Embarque.

Gross weight:
peso bruto, peso sem deduções. i.e. incluído a embalagem (ou invólucro) mais o conteúdo, ou então o veículo mais a carga.

Handling:
Manuseio, movimentação.

Handling charge:
Despesas de manuseio ou movimentação de carga.

Hazardous:
Perigoso, arriscado, prejudicial.

HAWB (House Airway Bill):
Conhecimento Aéreo emitido pelo Consolidador da carga.

Hinterland:
É o potencial gerador de cargas do porto ou sua área de influência terrestre. O Hinterland depende, basicamente, do potencial de desenvolvimento da região em que o porto está localizado e dos custos de transporte terrestre e feeder.

House (casa):
Expressão que se usa para container, indicando que ele será ovado ou desovado na casa do embarcador ou consignatário

House Bill of Lading ou House B/L:
Conhecimento Marítimo emitido por um freight forwarder (transitário de carga).

Hub:
Ponto central para coletar, separar e distribuir para uma determinada área ou região específica.

IATA (International Air Transport Association):
Associação Internacional de Transporte Aéreo, órgão que regulamenta e coordena o serviço de transporte aéreo internacionalmente.

IACS (International Association of Classification Societies):
Associação Internacional das Sociedades Classificadoras, órgão cujos membros são as principais sociedades classificadoras do mundo e o qual representa seus interesses a nível internacional.

IBC:
Intermediate Bulk Container ou Contenedor Intermediário para Granel.

ICC (International Chamber of Commerce):
Câmara Internacional de Comércio.

ICMS:
Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestação de Serviço de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicações.

IMO (International Maritime Organization):
Atualmente denominada IMCO, organização intergovernamental encarregada de promover a segurança no mar, a eficiência da navegação e prevenir a poluição marinha, entre outras coisas.

Import License:
Licença de Importação, documento expedido pelas autoridades de importação de um país, autorizando o importador a realizar a sua operação.

Inbound:
Vindo para dentro, de chegada (navio, etc.)

INCOTERMS (International Commercial Terms):
Série de termos relativos a contratos de exportação e importação, instituída pela Câmara de Comércio Internacional. Veja em nosso website em Incoterms.

Inland:
Transporte realizado internamente no pais.

Inspection:

Inspeção

Insulated container: = refrigerated container
Container refrigerado ou frigorífico, tipo de container isolado e equipado com motor de refrigeração, usado para o transporte de cargas frigoríficas ou perecíveis. p.ex. carne, pescado frutas, etc.

Insurance:
Seguro. O contrato ou o risco assumido pelo segurador mediante o pagamento de um prêmio pelo segurado.

Intermodal transport:
Transporte intermodal, um único serviço prestado por diferentes meios ou veículos. p.ex. transporte rodo-marítimo.

IPI:
Imposto sobre Produtos Industrializados.

ISO (International Standards Organization):
Organização internacional que estabelece normas e padrões técnicos seguidos internacionalmente, como p.ex. as medidas legais dos containers no comércio mundial.

Just-in-Time ou JIT:
É atender ao cliente interno ou externo no momento exato de sua necessidade, com as quantidades necessárias para a operação/produção, evitando-se assim a manutenção de maiores estoques.

Kaizen:
Processo de melhorias contínuas, com bom senso e baixos investimentos.

Lading (loading):
Carregamento, embarque de carga.

Landing:
1. desembarque (de pessoas).
2. descarga (de mercadorias).

Lashing:
1. peação, amarração firme da carga no convés ou porão do navio ou aeronave, para que esta se mantenha segura durante a viagem.
2. o material usado para tal fim.

Lastro:
Expressão do transporte marítimo, que significa água que é posta nos porões para dar peso e equilíbrio ao navio, quando está sem carga; no transporte ferroviário significa camada de substâncias permeáveis como areia, saibro ou pedra britada, posta no leito das estradas de ferro e sobre a qual repousam os dormentes.

Lay day: = laytime.
Estadia, tempo de estadia, o prazo estipulado numa operação de afretamento por viagem, durante o qual o afretador deverá realizar normalmente as operações de carregamento ou descarga do navio, sem ter que pagar sobrestadia ao armador.

L/C – Letter of Credit:
Carta de Crédito: ordem de pagamento que o importador contrata junto a um banco, a favor do exportador.

LCL – Less than container load:
“menos que uma carga de container”, porém o termo é usado quando o container é estufado parcialmente pelo armador com o lote do embarcador (junto com outros), e desovado no destino também pelo armador, sendo os custos em ambos os casos por conta do embarcador e consignatário, respectivamente.

Liner terms:
Termo de contrato de transporte marítimo pelo qual o frete inclui todas as despesas de carregamento, estiva e descarga de mercadoria, i.e. tudo isso por conta do armador.

Lloyd’s:
Entidade seguradora inglesa de abrangência internacional, fundada em 1688 pela associação de seguradores marítimos os quais se reuniam no Lloyd’s Coffe House, daí o seu nome.

LLP:
Leading Logistics Provider ou Principal Fornecedor de Serviços Logísticos.

Loading:

Carregamento, embarque de carga.

Logística Empresarial:
Trata-se de todas as atividades de movimentação e armazenagem, que facilitam o fluxo de produtos desde o ponto de aquisição da matéria-prima até o ponto de consumo final, assim como dos fluxos de informação que colocam os produtos em movimento, com o propósito de providenciar níveis de serviço adequados aos clientes a um custo razoável. (definição de Ronald H. Ballou no seu livro “Logística Empresarial”).

Logística Reversa ou Inversa:
No mercado é considerada como o caminho que a embalagem toma após a entrega dos materiais, no sentido da reciclagem das mesmas. Nunca voltando para a origem.

Manifest:
Manifesto, documento contendo uma relação de todos os conhecimentos de embarque, com seus principais detalhes, relativa às diversas cargas embarcadas no navio num determinado porto ou numa aeronave num aeroporto.

Maritime:
Marítimo, relativo ao mar ou ao que está próximo ao mar.

MAWB (Master Airway Bill):
Conhecimento Aéreo emitido pelo transportador ao consolidador da carga.

Medidas de desempenho:?
São instrumentos utilizados para avaliar a performance de qualquer atividade logística. Podem ser relatórios, auditorias, etc. Não se pode melhorar aquilo que não mensuramos.

Mercosul (Mercado Comum do Sul):
– Objetiva a integração econômica e comercial entre seus parceiros – Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai

Milk Run:
Consiste na busca do(s) produto(s) diretamente junto ao(s) fornecedor(es), de forma programada, para atender sua necessidade de abastecimento.

Modais:
São os tipos/meios de transporte existentes. São eles: marítimo: (feito pelo mar), ferroviário (feito por ferrovias), rodoviário (feito por rodovias), hidroviário (feito em rios), dutoviário (feito pelos dutos) e aeroviário (feito de forma aérea).

M/V – Motor vessel:
Navio a motor, se diz de um navio movido a motor de combustão interna (diesel), para diferenciá-lo daquele movido a vapor ou turbina.

Net weight:
Peso líquido da mercadoria.

NVOCC (Non Vessel Operating Common Carrier):
Nome que se dá a um transitário de carga o qual, por oferecer um serviço completo de transporte aos seus clientes, é equiparado a um armador embora não opere nem possua navios.

On carriage:
Num Conhecimento de Embarque significa um transporte adicional àquele ora sendo contratado. i.e. transbordo.

Open top container:
Tipo de container sem teto, o qual é coberto com lona, usado para cargas cuja altura excede aquela de um container convencional ou que só possam ser carregadas do alto.

OTM:
Operador de Transporte Multimodal.

Outbound:
Fluxos da fábrica para o concessionário.

Ovação:
Ato de por carga em container.

Owner:
Armador.

Packing List (Romaneio)
Relação de mercadorias ou volumes.

País de origem:
Aquele onde houver sido produzida a mercadoria, ou onde tiver ocorrido a última transformação substancial.

País de procedência:
Aquele onde se encontra a mercadoria no momento de sua aquisição.

Pallet:
Espécie de bandeja ou estrado de madeira, com orifícios para encaixe dos garfos das empilhadeiras, sobre o qual a carga é posta, presa e transportada até o destino.

Payload:
Capacidade útil de carga, a capacidade comercial de um navio, aeronave, porão ou de um container.

Peação:
Fixação de cargas a bordo do veículo ou em container, utilizando-se de materiais diversos.

Perishable:
Perecível, facilmente deteriorável. p.ex. certas mercadorias como laticínios, peixe, carne, frutas, etc.

Pick up:
1. Termo usado pra definir o recebimento de um ou mais containers pelo armador da companhia locadora após a firmação do contrato de arrendamento.
2. Coleta

Popa:
Parte posterior do navio.

Power of Attorney:
Procuração, instrumento legal autorizando alguém (ou uma empresa) a agir como procurador ou agente em nome de outro.

Prancha de carregamento:
Faz parte das normas de operação dos portos, e significa a tonelagem mínima estabelecida que será operada num período de seis horas.

Pre-stacking
Pré-empilhamento de containers, para prepará-los para embarque.

Proa:
Parte anterior do navio.

Proforma (Fatura Pro Forma):
1. documento preparado pelo agente contendo uma estimativa de custo diverso que o armador terá com a escala de seu navio no porto e a ele enviado para estudos.
2. qualquer outro documento estimativo e provisório ao definitivo.

PSI:
Sigla de pre-shipment inspection (inspeção pré-embarque).

Purchase:
Compra, aquisição de um produto ou o produto adquirido.

Quality Certificate:
Certificado de Qualidade, documento emitido pelo superintendente de carga, certificando à parte interessada, a realização do controle e apuração da qualidade da mercadoria embarcada ou descarregada.

RE (Registro de Exportação)
Registro informatizado elaborado no Siscomex que aglutina num único documento as informações de natureza comercial, financeira, cambial e fiscal relativas a uma exportação.

Rebocador:
Pequeno vapor utilizado para rebocar navios ou manobrá-los com segurança em áreas dos portos.

Reboque ou bi-trem
É o conjunto monolítico formado pela carroceria com o conjunto de dois eixos e pelo menos quatro rodas. É engatado na carroceria do caminhão para o transporte, formando um conjunto de duas carrocerias puxadas por um só caminhão.

Recintos alfandegados:
São locais assim declarados pela autoridade aduaneira competente, na zona primária ou na zona secundária, a fim de que neles possa ocorrer, sob controle aduaneiro, movimentação, armazenagem e despacho aduaneiro.

Recof:
Regime de Entreposto Industrial sob Controle Aduaneiro Informatizado – Permite que a empresa credenciada importe insumos com suspensão de impostos, sob controle aduaneiro, destinados à produção industrial de mercadorias a serem exportadas.

REDEX:
Recinto Especial para Despacho Aduaneiro de Exportação.

Reefer:
1. navio ou container frigorífico; tipo de navio com os porões ou cobertas devidamente isolados e equipados para o transporte de carga frigorífica ou perecível, como cerne, frutas, etc., na maioria dos casos paletizada.
2. relativo à refrigeração ou frigorificação.

Reimportação:
Significa trazer de volta ao País mercadoria que foi exportada temporariamente.

Release:
Liberação, livramento.

Repetro:
Regime Aduaneiro Especial de Exportação e de Importação de Bens Destinados às Atividades de Pesquisa e de Lavra das Jazidas de Petróleo e de Gás Natural – Permite a exportação com saída ficta do território aduaneiro e posterior aplicação do regime de admissão temporária, bem como de partes e peças, como também a importação sob o regime de drawback.

RES (Registro de Exportação Simplificado):
Denominado também Simplex, reúne num único documento os elementos relativos a uma exportação de valor até dez mil dólares ou seu equivalente em outras moedas.

RO-RO / Roll On – Roll Off:
Tipo de navio com uma rampa na popa ou na proa, por onde veículos (com carga ou vazios) são por ela transportados, entram e saem de bordo diretamente do/para o cais.

Said to contain:
Dito conter. Expressão inserida num Conhecimento de Embarque significando que o transportador desconhece o conteúdo da embalagem dos volumes recebidos a bordo.

Sample:
Amostra, parte ou peça representativa de uma série ou lote.

Sealing:
Lacragem, lacração, o ato ou processo de se fixar um lacre num container, etc.

SGP (Sistema Geral de Preferências):
É um programa, dos países desenvolvidos, de benefícios tarifários de isenção total ou parcial do imposto de importação sobre produtos adquiridos de países em desenvolvimento.

SISCOMEX:
Sistema Integrado de Comércio Exterior.

Ship Broker:
Agente Marítimo.

Shipper:
Embarcador, aquele que é responsável pelo embarque da mercadoria no meio de transporte, na maioria dos casos sendo seu próprio exportador e o qual contratou o seu transporte com o armador.

SIL:
Sistema de Informações Logísticas que providencia a informação especificamente necessária para subsídio da administração logística em todos os seus níveis hierárquicos.

Sobretaxa ou Surcharge
Taxa adicional cobrada além do frete normal.

Stowage:
1. estiva, estivagem: o ato, maneira ou processo de se colocar e arrumar carga a bordo.
2. o custo de tal serviço arcado pelo armador ou afretador.

Stuffing:
Estufamento, enchimento, ova, p.ex. de carga num container.

Supplier:
Fornecedor, provedor, abastecedor

Supply Chain Management
Gerenciamento da Cadeia de Abastecimento.

Surveyor:
Vistoriador, perito.

Tank container:
Container tanque, tipo de container de forma cilíndrica, colocado dentro de uma armação com a forma e dimensões idênticas a de um container normal, utilizado para o transporte de carga líquida (inflamável ou não), existindo nas medidas de 20 e 40 pés.

Tara:
Diferença entre os pesos bruto e líquido, representando a embalagem da mercadoria, o peso do container vazio, ou peso do veículo vazio.

TEC:
Tarifa Externa Comum.

Terminal:

Ponto final de embarque e desembarque de cargas e passageiro. O termo pode abranger o porto/aeroporto em si ou um pátio, armazém ou silo situado dentro dessa área.

TEU:
Twenty Foot Equivalent Unit. Tamanho padrão de contêiner de 20 pés.

TIPI:
Tabela de Incidência do IPI.

TEU (Twenty-Foot Equivalent Unit):
Termo usado para um container de 20 pés, pelo qual se é medida a capacidade de um navio porta containers em unidades equivalentes.

THC (Terminal Handling Charge):
Capatazia

TKU:
Toneladas por quilômetro útil.

TMS
Transportation Management Systems ou Sistemas de Gerenciamento de Transporte.

To order:
à ordem, documento ou título emitido à ordem.

Trading Company:
No Brasil refere-se a uma empresa (principalmente uma sociedade anônima de grande porte) que opera exclusivamente no comércio internacional, exportando/importando mercadorias ou serviços por conta própria ou de terceiros.

Transbordo ou Transhipment:
Transferir mercadorias/produtos de um para outro meio de transporte ou veículo, no decorrer do percurso da operação de entrega.

Transit time:
Tempo que o navio leva para completar certo percurso ou viagem.

Trânsito aduaneiro:

Regime aduaneiro especial que permite o transporte de mercadoria no território nacional,sob controle aduaneiro, de um ponto a outro do território aduaneiro, com suspensão do pagamento de tributos.

Transporte Intermodal:
é a integração dos serviços de mais de um modo de transporte, com emissão de documentos independentes, onde cada transportador assume responsabilidade por seu transporte.

Transporte Multimodal:
é a integração dos serviços de mais de um modo de transporte, utilizados para que determinada carga percorra o caminho entre o remetente e seu destinatário, entre os diversos modais existentes, sendo emitido apenas um único conhecimento de transporte pelo único responsável pelo transporte, que é o OTM – Operador de Transporte Multimodal.

Transshipment:
Transbordo. Descarregamento e recarregamento dos bens, durante o curso da viagem, utilizando sempre o mesmo meio de transporte. Na mensagem SWIFT MT 700, indica se o transbordo é proibido ou permitido.

Truck:
Caminhão, veículo rodoviário para carga.

Unitization:
Unitização, o processo usado para facilitar o manuseio e transporte de carga geral, pelo qual os volumes são embalados ou fixos a dispositivos de unitização, p.ex. pallet, ou quando são assim juntados num container.

Valor Aduaneiro:
Base de cálculo de Impostos Alfandegários obtidos segundo o Acordo de Valoração Aduaneira.

Voyage:
Viagem (de longo curso), ida e/ou vinda de um navio para seu porto ou portos de destino. Cada viagem do navio implica no transporte de uma ou várias cargas, dependendo do tipo de operação do mesmo, porém este poderá eventualmente cobrir uma perna de viagem vazio (em lastro) até o seu porto de carregamento, no caso de afretamento por tempo, algo indesejável ao afretador.

Warehouse:
Armazém, depósito para a guarda de mercadorias importadas ou para exportação.

Waiver:
Documento emitido pelo DMM (Departamento da Marinha Mercante), para que mercadorias prescritas, quer dizer, aquelas importadas com benefícios governamentais, possam ser transportadas em navio estrangeiro na falta de navio de bandeira nacional.

WCS:
Warehouse Control Systems ou Sistemas de Controle de Armazém.

Wharf age ou Taxa de atracação:
É a taxa cobrada pela administração de um porto para utilização do mesmo, nas operações que envolvem atracação, carga, descarga e estocagem nas docas e armazéns ligados ao porto.

WMS:
Warehouse Management Systems ou Sistemas de Gerenciamento de Armazém.

Worldwide:
mundial, aquilo que abrange ou refere-se ao mundo.

Zona primária:
Área demarcada pela autoridade aduaneira nos portos, aeroportos e pontos de fronteira alfandegados

Zona secundária:
Compreende o território aduaneiro, com exclusão da zona primária, nela incluídas as águas territoriais e o espaço aéreo.

 


Pro Imports Motors Franquia - clique aqui e saiba mais
Receba nossa Newsletter

leia mais